HEAVY ROCK REVIVAL - Blackmore Bar (2005)
10.09.2005

PIONEIROS JUNTOS NO BLACKMORE ROCK BAR!

A primeira edição do "Heavy Rock Revival", realizada no Blackmore Rock Bar, em São Paulo (SP), no dia 10 de setembro, pôde ser considerada um sucesso. O evento inédito, que envolveu grandes nomes do som pesado brasileiro, contou com maciça presença de público, que lotou as dependências da casa. Todos estavam lá para ver o retorno do Vírus aos palcos e a banda paraense Stress pela primeira vez na capital paulista, além de conferir o novo line-up do Salário Mínimo e também saudar a novata Comando Nuclear. Na platéia estavam fãs do Metal nacional e dos anos 80 em geral, além de membros da imprensa especializada e músicos de bandas como Korzus, Harppia, Centúrias, 1853, King Bird, Apokalyptic Raids, Em Ruínas, Selvageria, Painted Like Indians, entre outras. A discotecagem, preparada por Roger Lombarddi (SS00), privilegiou o Metal nacional, com músicas do Centúrias, Anthares e faixas das duas coletâneas SP Metal.

A abertura do "Heavy Rock Revival" ficou a cargo do Comando Nuclear, que teve papel fundamental no evento e se encaixou perfeitamente com a proposta de resgate às tradições do som pesado brasileiro. Ron Cygnus (vocal), Filippe Lawmaker (guitarra), Rodrigo Exciter (baixo) e Erick MadDog (bateria) provaram que o Metal dos anos 80 cantado em português está mais vivo do que nunca em músicas como "Comando Nuclear", "Vingança Metal", "Batalhão Infernal" e o cover de "Satã Clama Metal", do Azul Limão. Os músicos esbanjaram garra e paixão ao Metal e o vocalista Ron ainda fez questão de destacar no palco que abrir para bandas que influenciaram o Comando Nuclear era como um sonho.

Na seqüência entrou em ação o Salário Mínimo, sempre liderado pelo carismático China Lee, agora acompanhado por Alan Flávio (guitarra), Emerson Tanaka (baixo) e Xam Costa (bateria). A banda fez um set dividido em duas partes, sendo que a primeira destacou as músicas da nova fase e a segunda os clássicos dos anos 80. Entre as novas, que soam como um Hard Rock mais moderno, porém mantendo a tradição e personalidade do Salário, destaque para "Sobre Seus Pés", "Não Quero", além de "Ela" - faixa bônus do relançamento em CD do álbum "Beijo Fatal". Mesmo com a alta qualidade dos sons mais recentes, os presentes queriam ver as antigas e China Lee tratou de contentá-los com "Beijo Fatal", que teve o refrão cantado com entusiasmo. Outras bastante aplaudidas e com interação total foram "Noite de Rock", "Anjos da Escuridão", "Jogos de Guerra", além do 'medley' com as duas da coletânea 'SP Metal 1' - "Cabeça Metal" e "Delírio Estelar". Os músicos estavam em perfeita sintonia e saíram do palco ovacionados.

Depois foi a vez do Vírus, que se apresentou dezessete anos após o seu último show oficial, ocorrido no extinto Espaço Mambembe (SP). Mesmo após tanto tempo Flávio de Barros (vocal), Fernando Muniz "Piu" (guitarra), Renato César de Barros (guitarra), Cassio (baixo) e Julio (bateria - substituindo Caio De Capua, que não pôde estar presente) ainda contam com uma grande legião de fãs e vários da época do 'SP Metal' estavam presentes vibrando intensamente. A abertura com a clássica "Matthew Hopkins" foi de tirar o fôlego. Na seqüência vieram "O Eremita" e "Sacrifício", sendo possível notar a satisfação de todos ao ver Flávio comandando a massa sonora e "Piu" como sempre apavorando na guitarra com sua performance à la Ritchie Blackmore. O set ainda trouxe sons como "Povo do Céu", com aquele tema de guitarra e linhas vocais que grudam de imediato; o cover de "Mr. Crowley" (Ozzy Osbourne); "Contágio" e o final eletrizante com "Batalha no Setor Antares", outra do 'SP Metal 1'. A receptividade para este retorno do Vírus foi fenomenal, tanto que atendendo aos pedidos da platéia, os músicos até tocaram uma parte da música "Culto Satânico". A banda literalmente contagiou o público com seu Metal e esta 'reunion' promete...

A banda paraense Stress foi encarregada de fechar o "Heavy Rock Revival". Nada mais justo, considerando que além de ser responsável pela gravação do primeiro álbum de Heavy Metal no Brasil, em 1982, esta era a sua primeira aparição na capital paulista. Os pioneiros Roosevelt Bala (vocal e baixo), André Chamon (bateria) e Paulo Gui (guitarra) - formação que gravou o terceiro álbum da banda, "Stress III" (1996) - mostraram-se totalmente à vontade e desfilaram seus clássicos, como a abertura com Heavy Metal, do álbum "Flor Atômica" (1985), que teve o refrão cantado por todos. O set seguiu em alta intensidade com "Stressencefalodrama" e "Sodoma e Gomorra", ambos clássicos do primeiro álbum. O lado Hard Rock do Stress veio com a faixa-título do segundo trabalho, "Flor Atômica". Depois o trio mandou "Coração de Metal", exaltando sua paixão pelo estilo, seguida de "Folha no Vento", do "Stress III". Voltando para o 'debut' os presentes se empolgaram com "A Chacina" e "Mate o Réu". O show ainda contou com músicas como "Inferno Nuclear", "A Tua Mãe é Moça", "Não Desista" - com participação de Ron Cygnus do Comando Nuclear – e o final com a reprise de "Mate o Réu". A agitação e empolgação foi geral e muitos músicos presentes mostravam sua alegria ao ver o Stress no palco. China Lee (Salário Mínimo), Paulo Thomaz (Baranga, ex-Centúrias), Ricardo Ravache (Harppia e ex-Centúrias) e Jack Santiago (Harrpia) reverenciaram o trabalho da banda com entusiasmo. Tanto isto é verdade que após o set Jack e Ravache tocaram com o Stress a versão em português para "Desert Plains", que o Harrpia costuma apresentar em seus shows. A jam não foi longa e o encerramento veio com o improviso para a clássica "Salém (A Cidade das Bruxas)", tendo Jack e Ravache, além de Rodrigo Exciter (Comando Nuclear, guitarra), Marcello Pompeu (Korzus, vocal) e Paulo Thomaz (bateria).

A primeira edição do "Heavy Rock Revival" só prova a força do Metal nacional e todos que estiveram no Blackmore Rock Bar presenciaram um festival histórico e que deve ser repetido mais vezes.

Por: Ricardo Batalha / Fotos: Bruna de Campos


<< VEJA OUTRAS MATÉRIAS NESSA SEÇÃO